Câmara opta por abrir outra CPI para apurar suposta compra de voto de vereador

14/05/2019

 

 

A Câmara Municipal de Lavras aprovou nesta segunda-feira, dia 13, uma Comissão Parlamentar de Ética (CPI) para investigar a denúncia de uma suposta compra de voto envolvendo o vereador Ailton Magalhães Filho.

A comissão será formada pelos vereadores Bira, Cel. Claret, Toninho do Raio X, Daia Protetora e Peterson. A atual CPI exclui da investigação o prefeito José Cherem, como havia sido proposto por outra abertura de CPI para apurar o mesmo caso, mas que não foi aprovada na semana passada por falta de um voto. O texto era assinado pelos vereadores Carlos Lindomar, Ennio, Nanáh, Lila e Dr. Matusalém.

A denúncia da suposta compra de voto foi feita pelas redes sociais por Darci Tavares. Ele compartilhou uma publicação com uma cópia de um documento assinado pelo vereador.No termo de compromisso, feito em agosto de 2016, pouco antes das eleições, Ailton se compromete a contratar Eliane Cristina França Britto Zemp, esposa de Darci, para um cargo comissionado. Em troca, o casal teria prometido votar no candidato.

Em vídeo divulgado nas redes sociais essa semana, o vereador Ailton Magalhães Filho nega o fato. Em nota, a Prefeitura de Lavras afirmou apenas que não teve acesso a nenhum documento sobre a denúncia e disse que, por ser uma investigação interna da Câmara, não vai se manifestar.

Você também pode gostar