UFLA realiza melhoramento genético para obter bovinos de melhor qualidade

12/08/2019

 

 

Garantir ao consumidor uma carne bovina de qualidade tem sido o objetivo de inúmeros produtores. Ao conciliar pesquisa e extensão, os resultados alcançados superam as expectativas. Um exemplo, que comprova a relação entre pesquisadores, produtores e consumidores, são as pesquisas do Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia (GMAB), sob orientação da professora Sarah Laguna Conceição Meirelles, com atividades relacionadas ao melhoramento genético animal e às biotecnologias empregadas.

Duas fêmeas bovinas da raça Tabapuã receberam o Certificado de Superioridade Genética (CSG) e uma nova marca do Programa de Melhoramento Genético de Zebuíno (PMGZ). A professora Sarah Meirelles explica que ao trabalhar a área do melhoramento genético é possível unir superioridade genética com os efeitos ambientais, que são a dieta, manejo e instalações, para obter uma carne de melhor qualidade e contribuir com uma melhor genética dos novilhos na região do Sul de Minas.

Os estudos com a raça Tabapuã iniciaram em 2008, por meio de doações de produtores da região. A partir de 2013 esse rebanho foi inserido no Programa de Melhoramento Genético de Zebuíno (PMGZ), com a finalidade de identificar animais superiores geneticamente da raça. Em 2017 esse programa começou a emitir certificado de superioridade genética, dado aos 20% dos animais superiores geneticamente do respectivo ano.

GMAB 900“Estamos honrados com a certificação, pois apenas com cinco anos de um trabalho bem direcionado, selecionando animais superiores geneticamente, e conduzindo os acasalamentos da melhor forma possível, foi possível receber dois certificados de superioridade genética. É necessário que os animais preencham alguns requisitos impostos pelo programa, por isso, é motivo de muito orgulho para nós a certificação dessas duas fêmeas, fruto de um trabalho progressivo de melhoramento genético realizado pelo GMAB”, ressalta a pesquisadora.

GMAB
O Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia foi fundado em 2012 para promover a interação entre produtores, estudantes, professores, pesquisadores e técnicos que tenham interesse e/ou desenvolvam atividades relacionadas ao melhoramento genético animal, trazendo mais conhecimento e aperfeiçoamento profissional de seus associados e da comunidade acadêmica.

Raça Tabapuã

O Tabapuã é uma raça zebuína brasileira fruto de cruzamentos entre o gado mocho nacional e animais de origem indiana (como Nelore e Guzerá). A raça Tabapuã foi assim denominada pelo Ministério da Agricultura ao considerá-la oficialmente como raça, e a primeira genuinamente brasileira, por ter tido sua origem na Fazenda Água Milagrosa, município de Tabapuã – SP, seguindo assim uma tradição mundial de se dar a uma raça o nome da região ou município de onde se originou.

As vantagens do Tabapuã para reprodução se destacam entre os zebuínos. Com pouca idade no primeiro parto, as matrizes apresentam alto índice de fertilidade e a habilidade materna da raça garante bom desenvolvimento para os bezerros.

As informações são da Associação Brasileira dos Criadores de Tabapuã (ABCT).

Reportagem: Greicielle dos Santos – bolsista Dcom/Fapemig