Bombeiros combatem incêndio a quatro dias em Carrancas

12/08/2019

 

 

Na sexta-feira, dia 9, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais de Lavras começou o atendimento de uma ocorrência de Combate a Incêndio Florestal na Zona Rural da cidade de Carrancas, MG, onde, ainda nesta data, o combate as chamas continuam. Os Bombeiros têm se revesado durante estes últimos quatro dias, com suas equipes de trabalho operacional, e, devido a variedade de terrenos e vegetação, existem algumas dificuldades para debelar o incêndio que apresenta vários focos, atingindo uma grande variedade de tipos de vegetação, desde campos de pastagem e áreas de serrado a plantações de eucalipto, o incêndio já apresenta uma área queimada aproximada a 400 hectares.

Os incêndios florestais ou em vegetação colocam em risco pessoas e bens, além de provocar danos ambientais, muitas vezes irreversíveis. A grande maioria desses incêndios são causados pela ação do homem. No período de seca, com vento e baixa umidade relativa do ar, pequenas fagulhas podem se propagar provocando um grande incêndio, por este motivo, é preciso estar atento.

Siga as dicas de prevenção e divulgue-as sempre:

– Não solte balões ou fogos de artifício perto de florestas ou áreas rurais.

– Não lance guimbas de cigarros acesos pelas janelas de veículos ou no chão em áreas rurais ou às margens das rodovias.

– Evite o acúmulo de lixo em lotes vagos.

Se for passear ou acampar em um parque, floresta ou áreas de preservação evite:

 – Lançar guimbas de cigarros.

– Se acender uma fogueira, remova todas as folhas secas e faça um círculo com pedras ao redor do fogo. Esteja sempre vigilante e ao término, apague-a com água e terra.

– Não jogue no chão vidros e outro tipo de lixo.

– Se for realizar uma queimada, não se esqueça de solicitar autorização a um escritório do Instituto Estadual de Florestas (IEF).

São muitos os danos ambientais:

 – Redução da biodiversidade.

– Alterações drásticas dos biótopos, reduzindo as possibilidades de desenvolvimento equilibrado da fauna silvestre.

– Facilitação dos processos erosivos.

– Redução da proteção dos olhos d’água e nascentes.

– Perdas humanas e traumatismos provocados pelo fogo ou por contusões.

– Desabrigados e desalojados.

– Redução das oportunidades de trabalho relacionada com o manejo florestal.

Fonte: 2ª CIA BM/9º BBM – Lavras

Contatos:

Email: [email protected]

Tel. 1º Pel BM – Lavras: (35) 3826-2340

Você também pode gostar