Mês da Consciência Negra é celebrado em Lavras

12 de novembro de 2017

O Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. A semana dentro da qual está esse dia recebe o nome de Semana da Consciência Negra e o mês em que está inserida a data é lembrado como Novembro Negro.

A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar da resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte de africanos para o solo brasileiro (1549).

Durante o mês, diversas entidades, instituições e atores sociais organizam palestras e eventos educativos, priorizando questões para todas as gerações. 

Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, etc.

Em Lavras, a programação do mês já está completa e este ano tem como tema “Novembro Negro – Lavras: Desconstruindo o racismo #podernegrolavras” e inclui oficinas de Dj, graffiti, que aconteceram no último final de semana.

Na próxima sexta-feira, às 19 horas, acontece o Cine Debate “DNA Áfria”, no Sesc Lavras, localizado na Rua Otacílio Negrão de Lima, 344, Bairro Retiro. No sábado, dia 18, acontece o “10º Encontro de Capoeira e Troca de Graduação” com o grupo Corpo e Movimento, às 16h, na Escola Municipal Paulo Menicucci.

Também no sábado, das 16h às 22h, acontece o “Hip Hop na Norte”, na Praça da Estação, na Zona Norte da cidade.

No domingo, dia 19, acontece o grande ato “Ocupa Praça – Poder Negro”, na Praça Doutor Augusto Silva, no Centro da cidade, das 10h às 21h, com diversa programação. Também no mesmo domingo, ocorre a “Festa de Reinado”, de 05h às 17h, no Terreiro do Talinho, localizado na Rua Alfredo Mariani, 124, Bairro Cruzeiro do Sul.
Em 20 de novembro, haverá a solenidade em homenagem ao Dia da Consciência Negra, haverá solenidada, às 19h, na Câmara Municipal de Lavras.
A programação do Novembro Negro em Lavras se estende até o dia 16 de dezembro, quando nesta data acontecerá o Concurso Beleza Negra (masculino e feminino), às 22h, no Espaço La Rocca, na Rua Santana, 208, no Centro da cidade.
Os eventos que abrangem o Mês da Consciência Negra são realizados pelo Conselho Municipal de Políticas de Igualdade Racial (CMPIR), Prefeitura Municipal de Lavras por meio da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer, Turismo e Cultura, Gerência Municipal de Cultura, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e artistas lavrenses.
A programação conta com o apoio do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Lavras (DCE-UFLA), Diretório Central dos Estudantes do UNILAVRAS (DCE-UNILAVRAS), Associação dos Pós-Graduandos da Universidade Federal de Lavras (APG-UFLA), Levante Popular da Juventude – Lavras, Grupo Orgulho Crespo, Padaria Rocha e Art Nossa.
Os parceiros culturais do Novembro Negro em Lavras são Grupo Pensamento Legal, Grupo de Adolescentes Voluntários da Escola Gralha Azul, Grupo Corpo e Movimento, Irmandade de São Benedito, Café Cultural – UNILAVRAS, Sesc Serviços Lavras – Sistema Fecomércio Minas, Grupo Papo D’skina, Coletivo Laroyê e MOCZUMP.

Década Internacional de Afrodescendentes

No dia 22 de julho de 2015, foi lançada oficialmente no Brasil, a Década Internacional de Afrodescendentes.

Proclamada pela resolução 68/237 da Assembleia Geral a Década Internacional de Afrodescendentes será observada entre 2015 e 2024 e, tem por objetivo, proporcionar uma estrutura sólida para as Nações Unidas, os Estados-membros, a sociedade civil e todos os outros atores relevantes para tomar medidas eficazes para a implementação do programa de atividades no espírito de reconhecimento, justiça e desenvolvimento.
O período também é uma oportunidade única de apoiar o Ano Internacional de Povo Afrodescendentes, observado pela comunidade internacional em 2011, além de destacar a importante contribuição dada pelas e pelos afrodescendentes para nossas sociedades e propor medidas concretas para promover a sua plena inclusão, o combate ao racismo, à discriminação racial, à xenofobia e à intolerância.

Dados apontam que existem aproximadamente 200 milhões de pessoas vivendo nas Américas que se identificam como afrodescendentes. Muitos mais vivem em outros lugares do mundo, fora do continente africano.

Ainda segundo estudos e pesquisas de órgãos nacionais e internacionais, as pessoas afrodescendentes ainda têm acesso limitado a educação de qualidade, serviços de saúde, moradia e segurança. Além disso, o grau de participação desta comunidade na política ainda é baixo, tanto na votação quanto na ocupação de cargos políticos.