Três Corações registra primeira morte após mais de 30 casos em 20 dias

16/05/2020
Estrutura do coronavírus. — Foto: CDC/via REUTERS/Site: O Globo.

 

 

Há 20 dias, a cidade de Três Corações (MG) não tinha nenhum caso confirmado de coronavírus. Em pouco tempo, a situação mudou. Até este sábado, a prefeitura registrava 36 casos positivos de Covid-19. Na madrugada, a cidade também registrou a primeira morte pela doença.

O primeiro óbito na cidade é de um idoso de 78 anos. Na noite desta sexta-feira (15), ele deu entrada no Hospital São Sebastião. O paciente foi diagnosticado com coronavírus e internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas morreu durante a madrugada deste sábado.

“Ele já possuía problemas de saúde e deu entrada no hospital já em estado bem debilitado. Chegou a ser entubado. Ontem, foi realizado o teste rápido e verificada a presença do coronavírus e infelizmente, veio à óbito”, explicou o secretário ajunto de Saúde, Rachid Gadbem.

Ocupação da UTI
Nos últimos 30 dias, os leitos de UTI para casos de Covid-19 do hospital São Sebastião chegaram a ficar com 80% de ocupação. Foram contratados 42 novos profissionais da saúde para reforçar o atendimento.

“Muita preocupação nossa pelo fato da gente ter um número limitado de vagas. Se chegar o momento que passar de 10 , nós não temos onde colocar esses pacientes na UTI se for necessário. A doença aflora muito rápido. Começa leve e de repente, de uma hora pra outra, ela [a pessoa] tem que ser entubada”, explicou o diretor do hospital, José Pereira da Cunha.

O diretor ainda comentou sobre os riscos da rápida evolução do vírus. “E não tem como você saber em quem vai evoluir dessa maneira, porque cada indivíduo tem uma resposta imunológica. Então é difícil você definir quem vai ser entubado, quem vai pra UTI, quem vai pra enfermaria. Então vai depender da evolução. E tem pessoas que evoluem muito rápido. Tem pessoas que de manhã está bem, conversando bem. Na parte da tarde, já entra em insuficiência respiratória e tem que entubar rapidamente senão ele vem a falecer”.

Evolução

Nos números da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), a cidade aparece com 31 casos. A rápida evolução preocupa moradores e comerciantes.

“A gente tem que sair pra trabalhar. Na loja que eu trabalho, a gente está prevenindo, com álcool gel, máscara, não deixa a pessoa entrara sem higienizar as mãos. Mas é muito complicado porque a gente não sabe a pessoa que está ou não está [com a doença]”, explicou a vendedora Francisca Aparecida Braz.

Com as confirmações, a cidade já que a quarta do Sul de Minas com mais registros da doença, atrás apenas de Pouso Alegre, Extrema e Varginha. O primeiro caso foi no dia 27 de abril. Uma semana depois, já eram 16, até chegar ao número atual.

“Além da pandemia estar se espalhando pelo interior de Minas, nós estamos intensificando a testagem rápida. Até o dia de ontem foram realizados 192 testes rápidos. Consequentemente, como aumento do número de testes rápidos, este casos positivos começam a aparecer”, explicou o secretário ajunto de Saúde.

Ainda segundo Gadbem, muitos já passaram pelo período de quarentena e seguem monitorados. Outros estão hospitalizados. “Mas o aumento de número de casos de coronavírus é visível justamente pelo índice de testagem”