Lavras: Situação de terreno é alvo de reclamação por parte de moradores

Publicado em 20/04/2016
Bambuzal e mato no terreno do bairro Serra Azul/Foto Simone Delgado

 

A sujeira e o mato alto de um terreno localizado na rua Sebastião Raimundo Azevedo, bairro Serra Azul, tem prejudicado moradores do local.

Segundo a moradora Simone Delgado, que há três anos reside na rua, a situação tem proporcionado o aparecimento de escorpiões nas residências.

Ela disse que bambus caíram na fiação elétrica dos postes, provocando o desligamento do fornecimento de energia.  “Já entramos em contato com a Ouvidoria e as Secretárias de Obras e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal, mas nada foi feito”, avaliou.

Fiscalização

 

52f852c2-a9be-40cf-bb26-3ae03ed2a709

 

Desde janeiro do ano passado, o Executivo tem realizado um trabalho de vistoria de casos irregulares em lotes vagos, em cumprimento à Lei 3.937/2013. A partir do momento em que é notificado, o proprietário tem um prazo de 15 dias para realizar a limpeza, gerar um protocolo e o pedido de vistoria junto à Secretaria.

 

Proprietários dos terrenos que não vêm cumprindo com suas obrigações de limpeza e manutenção dos terrenos começaram a ter suas multas não pagas protestadas em cartório pela Prefeitura de Lavras. Atualmente o município tem cerca de 400 donos de lotes sujos inadimplentes.

 

Segundo a Prefeitura, cerca de 90% do mato que está nas ruas vem de lotes vagos e sujos. Grande parte deles acaba virando depósito de lixo, o que propicia o aparecimento de animais peçonhentos e facilita a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. As queimadas geram problemas respiratórios, comprometem a mobilidade dos moradores, e influenciam no aspecto visual da cidade.

Veja também