Publicada a primeira imagem da Serva de Deus Irmã Benigna

08/06/2021

 

 

Muito embora sua imagem não ostente uma auréola, uma vez que ainda não é autorizada sua veneração pela Igreja, esta criação que ora apresentamos a todos os seus fiéis devotos e amigos traz, em cada detalhe, a memória das marcas com que a Serva de Deus nos inspira diariamente ao serviço, à caridade, à generosidade e ao atendimento a Cristo em seu projeto de libertação do ser humano e promoção da vida. 

A imagem da mulher de pele negra reafirma a valorização da mulher, especialmente, da mulher negra, da qual se origina o carisma fundacional da CIANSP, lembrando-nos de que devemos combater todos os tipos de escravidão e preconceito, a exemplo de Irmã Benigna que é prova viva, testemunha dessa realidade, com sua prática libertadora da pessoa humana. 

Seu rosto traduz a esperança e o acalanto suave que sua presença sempre trouxe àqueles de quem se aproximava e que, até hoje, permanecem vivos na devoção de seus fiéis e amigos, que têm suas vidas cheias de alegria, ânimo e coragem com sua amorosa presença. Seu sorriso largo, que contagiava e envolvia, levando as pessoas à oração e ao fortalecimento da fé, está emoldurado no rosto forte da mulher que revela o próprio Deus com sua vida. 

 
Na mão direita, o pão. O pão da caridade representando o povo que tem fome. Irmã Benigna tinha os braços marcados por carregar diversas bolsas de donativos que recolhia incansavelmente para levar aos mais pobres, aos enfermos e aos necessitados. O pão que ela reparte com tanto amor alimenta o corpo e dignifica a humanidade.
Na mão esquerda, leva o terço, representando sua vida de oração e a devoção à Nossa Senhora. Além da caridade, a fé é, também, esteio na vida de Irmã Benigna. Ela rezava fervorosamente sem, no entanto, jamais deixar de trabalhar para dignificar as pessoas. Em suas ações, lembra que o pão e a dignidade não podem faltar. 

Levar uma bolsa a tiracolo era um costume da Serva de Deus que a imagem nos mostra, trazendo-nos, à memória, seu reconhecimento como a Santa da Fartura. A ela acorriam desde os mais humildes até grandes empresários que se sentiam fortalecidos ao testemunhar a confiança que Irmã Benigna depositava na providência divina para a resolução de problemas e consolo nas aflições. Suas orações ternas e carinhosas apontavam o caminho para a prosperidade. 

O crucifixo vem lembrar o compromisso com a missão evangelizadora da Igreja. Irmã Benigna era e ainda é uma grande evangelizadora. Ela não ficava dentro de casa, ia ao encontro das pessoas, especialmente dos necessitados, assim como o Papa Francisco nos conclama a fazer e como a AMAIBEN, de uma forma bonita e profética, reproduz com sua presença evangelizadora na Igreja, reforçando o compromisso do cristão que deve estar no meio do povo e ao povo levar Deus e sua palavra. 

O hábito próprio da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade representa a vida consagrada, da qual Irmã Benigna é testemunha no coração de cada uma de nós, religiosas. 

Com imensa felicidade, alegria e gratidão, em nome da CIANSP, apresento a cada fiel devoto e amigo da Serva de Deus a primeira imagem da Serva de Deus Benigna Victima de Jesus. 

Com imensa felicidade, alegria e gratidão, em nome da CIANSP, apresento a cada fiel devoto e amigo da Serva de Deus a primeira imagem da Serva de Deus Benigna Victima de Jesus. 

Com imensa felicidade, alegria e gratidão, em nome da CIANSP, apresento a cada fiel devoto e amigo da Serva de Deus a primeira imagem da Serva de Deus Benigna Victima de Jesus. 

  

Fonte: Madre Teresa Cristina Leite – Superiora Geral das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade/CIANSP Notícias.