Por Diego Nascimento: Tô com fome!  

08/10/2019

 

Você sabia que tomar decisões com o estômago vazio pode ser um grande risco para o seu negócio e carreira? É o que diz um estudo científico publicado em 2019 no Psychonomic Bulletin & Review. A pesquisa, elaborada pelos professores Jordan Skrynka e Benjamin Vincent da University of Dundee no Reino Unido, mostra que temos uma maior probabilidade de tomarmos decisões equivocadas quando estamos com fome.

Cinquenta participantes (28 mulheres e 22 homens) entre 21 e 22 anos de idade foram recrutados pela universidade e participaram de vários testes que consistiam em intervalos curtos e maiores de alimentação. Em ambos os casos, foi constatado que os sentimentos e o comportamento dos participantes alternavam conforme ficavam mais tempo sem se alimentar. Outros fatores físicos também foram analisados por meio de cálculos de probabilidade e, no final, os resultados foram reveladores.

Eu costumo participar de várias reuniões e, de acordo com o tempo de duração, sempre sugiro “uma pausa para o cafezinho.” Por outro lado, a comprovação científica da qual estamos tratando não nos autoriza a comer tudo o que encontramos pela frente. Precisamos lembrar que uma dieta balanceada e saudável é parte integrante do bem-estar físico. Meu alerta é para o tempo que ficamos sem nos reabastecer (alimentos) ao longo do nosso dia de trabalho.

Após uma palestra que ministrei sobre Oratória, um aluno perguntou: “Diego, qual deve ser a minha dieta antes de uma apresentação de trabalho ou discurso?” A resposta foi simples: nunca devemos exagerar na comida. Nosso organismo fará a digestão dos alimentos e algumas pessoas podem ter certos desafios intestinais no meio de uma apresentação (acredite, é mais comum do que imaginamos). Ao mesmo tempo, o famoso ditado “saco vazio não para em pé” é a mais pura realidade. Já testemunhei pessoas passarem mal porque “se esqueceram de comer” durante a preparação de um evento. Por isso, o bom senso é sempre a melhor saída.

Pela observação dos aspectos mencionados, precisamos concordar que todo o cuidado é pouco. Certa vez, alguém me disse que “somos aquilo que comemos” (ou deixamos de comer rsrsrs…). Tá bom, eu sei que você já tomou decisões de barriga vazia e, talvez, agora entenda algumas escolhas feitas no passado. O bom disso tudo é que a informação baseada em evidências é capaz de nos ajudar. Por essa razão digo e repito: cuidado com o que vai fazer se estiver com fome!

Quer ler a pesquisa dos professores Jordan Skrynka e Benjamin Vincent? Clique aqui e acesse a versão em Inglês

Para palestras e consultorias sobre Comunicação Corporativa e Ética Empresarial fale comigo via e-mail: [email protected]

Você também pode gostar