Por Cléa Andrade: Desconhecido – 11/2020

19/11/2020

 

 

Sem saber, depois de tantos anos de convívio, somente agora, em meio ao caos mundial descubro que me é desconhecido. Sinto o fogo que não esquenta, sequer queima; percebo que deveria ser seu bem e mais me apresento como ameaça. Nem sei de quê. Somos diferentes em buscas, medos e formas de tentar. Não me tento! Já você, agora sei que é íntimo da tentação. Na faculdade da vida por que passou, deu força ao ego e à beleza. Enquanto eu, desprovida de qualificativos, achei o caminho mais fácil de conter tais exposições, exceto pela minha agilidade para pensar e agir, inigualável até mesmo à sua, sempre utilizada nos momentos que melhor lhe convinha e que foram muitos, coincidentes com os meus piores momentos, exatamente aqueles que poderia ter ajudado e preferiu fugir. Então, só vejo agora que por essas faltas aprendi a me mover sem andar, sem perturbar-lhe, e ainda assim transportando minha observação para o presente uma vez que continuo nesse transporte sozinha. Nem percebi o número de vezes que voltei para buscar-lhe, emprestando meu saber, disposição e inteligência, esses que nunca quiseste reconhecer em mim. Talvez, pelos erros que cometi, os quais venho carregando ainda sob fardo. O que mantive sem ver ao longo dos anos sempre me guiou. Meu desconhecimento acerca do receio que agora sei que tem de mim, nunca atrapalhou em nada, pelo contrário, norteou-me nas estradas de solitude nas quais caminho sem medo, já que são companheiras de longos anos. Então encontro a peça que faltava no quebra-cabeça de cinco mil peças que tive como jornada, entendendo agora que o efeito reverso da vontade de aprender se manifesta sobretudo naqueles que nos amam e nos admiram. Fui incapaz de acreditar que a saga pelo conhecimento e sabedoria, sobretudo se houver bom êxito, poderia despertar ciúmes, inveja, desestímulo articulado elevando-se como ameaça; nem mesmo ousei falar nos dons, que merecem capítulo à parte. Apenas sigo com olhos de análise passando a capitar as reais intenções que permeiam aqueles que esperneiam…