Negros têm 2,2 mais chances de serem assassinados que brancos em Minas

06/01/2015
Vespasiano é considerada a cidade com maior risco de homicídios em Minas Record Minas
Vespasiano é considerada a cidade com maior risco de homicídios em Minas Record Minas

Vespasiano é considerada a cidade com maior risco de homicídios em Minas
Record Minas

Ter pele negra aumenta em 2,2 vezes a chance de ser assassinado em Minas Gerais. A estimativa está presente no IVJ 2014 (Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade), divulgado nesta segunda-feira (5) pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Governo Federal.

A relação entre taxas de homicídio mostra esta disparidade. Em MG, a taxa de assassinatos de brancos foi de 26,1 casos para cada 100 mil pessoas. Entre os negros, o índice salta para 57,3 a cada 100 mil. Foram 2.535 homicídios em 2012, o ano considerado pelo estudo.

Os números mostram uma oposição: em 2007, o índice era de 22,4 para brancos e 53,1 para negros.

Considerando a faixa etária, a quantidade de assassinatos cresceu entre os adolescentes e recuou entre os jovens adultos em Minas. Entre 2007 e 2012, a execução de adolescentes entre 12 e 18 anos cresceu 24,7% no Estado. Também houve crescimento de 10% na faixa entre 19 e 24 anos. Já entre pessoas com 25 a 29 anos, o número de assassinatos caiu 5,2%.

Foram analisadas 288 cidades brasileiras com mais de 100 mil habitantes. Entre as mineiras, Varginha e Poços de Caldas, no sul do Estado, tiveram o menor risco de vulnerabilidade, com índices 0,244 e 0,246. O município mineiro com pior colocação foi Vespasiano, com 0,480. Para este resultado são considerados dados relativos a homicídios, mortalidade em acidentes de trânsito, frequência à escola e situação de emprego, pobreza e desigualdade.

O estudo conclui que “os jovens negros acompanham a tendência de melhoria das condições sociais, mas ainda ocupam papel secundário no rol das políticas públicas de prevenção e redução da violência”.

O IVJ 2014 foi feito com base no DataSus 2012 e aponta que a média brasileira é de 2,5 negros assassinados para cada branco. Na Paraíba ocorre a maior desigualdade: negros são vítimas 13,4 vezes mais.

Fonte: R7