Manifestantes vão às ruas nessa terça-feira (23) para defender PIBID UFLA

Publicado em 23/02/2016
A coordenadora geral do PIBID UFLA, professora Jacqueline Magalhães Alves: corte pode afetar 296 bolsas na instituição.

Representantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência da Universidade Federal de Lavras (PIBID UFLA) realizam um ato nesta terça-feira, dia 23, nas ruas de Lavras para chamar a atenção sobre a importância do programa, que poderá sofrer cortes orçamentários a partir do próximo mês, como havia anunciado no final do ano passado o Governo Federal.

O programa concede bolsas de R$ 400 mensais a alunos de licenciatura que participam de projetos em escolas de educação básica. Criado em 2009, ele revitalizou os cursos de licenciatura, recriou formas na formação dos novos professores e tem estabelecido um vínculo inédito entre universidades e escolas do Brasil.

De acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016 indica um corte drástico de 45% na verba destinada ao programa. A direção da Capes inclusive já apontou estratégias diversas de corte, de forma que o número de bolsas caia de 82 mil para 48 mil.

Segundo a coordenadora geral do PIBID UFLA, professora Jacqueline Magalhães Alves, oitos cursos seriam afetados diretamente por possíveis cortes orçamentários: Matemática, Biologia, Física, Letras (Inglês e Português), Filosofia, Química, Educação Física e um projeto interdisciplinar. O programa é composto por 296 bolsas de estudo.

O ato começa com uma concentração a partir do 12h, no campus da Ufla. A partir das 16h os manifestantes seguem a pé em direção à Praça Dr. Augusto Silva.

Jacqueline Magalhães Alves afirmou que são esperadas 300 participantes do PIBID, dentre esses, estudantes e professores das Licenciaturas da UFLA e estudantes e professores da educação básica pública.

“Caso os cortes se confirmem, a gente perde uma oportunidade de formação e metologia de trabalho. É um programa recente que estava trazendo frutos muito significativos da formação politica e pedagógica dos professores. Nós vamos perder muito com tudo isso e também as escolas”, finalizou.

Veja também