Juíza lavrense Zilda Maria Youssef é suspensa pelo CNJ por críticas a Lula

Normas do Judiciário proíbem que juízes se filiem a partidos políticos ou demonstrem apreço ou desapreço a candidatos, lideranças políticas e partidos

O Conselho Nacional de Justiça afastou a juíza Zilda Maria Youssef Murad Venturelli, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por publicar postagens de teor político-partidário com críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Normas do Judiciário proíbem que juízes se filiem a partidos políticos ou demonstrem apreço ou desapreço a candidatos, lideranças políticas e partidos.

O Plenário do CNJ aplicou uma pena de disponibilidade de 60 dias à juíza mineira devido a publicações nas redes sociais. Em uma das postagens, a juíza criticou o PT e defendeu um projeto que, segundo ela, garantiria a impunidade no Brasil. Ela também compartilhou um vídeo criticando indiretamente o presidente Lula.

O CNJ destacou que o Código de Ética da Magistratura Nacional proíbe magistrados de expressarem opiniões político-partidárias nas redes sociais, pois isso compromete a confiança pública na Justiça. As postagens da juíza indicaram violação dessas normas éticas.

Compartilhe esta notícia:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest