Incêndios na serras de Minas: tempo seco aumenta focos em todo estado

Publicado em 22/09/2015
Fotos: BM de Lavras

Menos de 10 dias depois da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), divulgar um relatório com o balanço parcial dos incêndios em Minas Gerais, o qual aponta uma queda de 10% no índice de incêndios florestais, o estado apresenta focos de incêndio com grandes danos ambientais em serras.

Fotos: BM de Lavras

Fotos: BM de Lavras

Em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte, 1.450 hectares ou mais de um quarto de toda vegetação da Serra da Rola – Moça já foram queimados. Essa parte integra a área de reserva do parque, que tem um total de 3.941,09 hectares. Os dados são do Corpo de Bombeiros, que há três dias tentam combater os focos de incêndio.

Setenta e duas horas também já dura o combate ao incêndio que atinge o Parque Estadual da Serra da Boa Esperança. Mais de 40 pessoas combatem as chamas. Dois aviões apóiam a ação. Metade da área total do parque já foi consumida. O local abriga espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção. A polícia ambiental suspeita que o incêndio possa ter sido criminoso.

Fotos: BM de Lavras

Fotos: BM de Lavras

Em Lavras desde a manhã desta segunda-feira (21), os Bombeiros estão combatendo um incêndio na Serra da Bocaína. A alta temperatura, baixa umidade relativa do ar,a vegetação seca e os ventos fortes aumentaram a propagação das chamas rapidamente. O terreno da “serrinha”, um declive acentuado e a vegetação alta dificultam os trabalhos. As autoridades temem que o fogo atinja o Parque Quedas do Rio Bonito. Os Bombeiros ainda não divulgaram o tamanho da área que foi atingida pelo incêndio.

 

 

Veja também