Há sete anos, UFLA está entre as universidades mais sustentáveis do mundo

20/12/2018

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) ocupa, pelo sétimo ano consecutivo, posição de destaque no UI GreenMetric World University Ranking. O resultado da edição de 2018 foi divulgado nesta quarta-feira (19/12). Entre as 619 universidades incluídas na classificação, a UFLA ocupa a 38ª posição em âmbito mundial, sendo a 2ª na América Latina e no Brasil. A pontuação geral da Universidade subiu de 6.279 em 2017 para 7.475 em 2018. De forma geral, houve um progresso na pontuação das participantes, indicando que os investimentos em sustentabilidade têm sido uma preocupação crescente entre instituições de ensino.

Em 2018, instituições de 81 países se candidataram ao ranking. O número de participantes teve um acréscimo de mais de cem instituições em relação a 2017. O objetivo desse ranking é classificar as universidades a partir de informações sobre como estão suas condições atuais e suas políticas relacionadas à sustentatibilidade. A avaliação feita pelo Green Metric leva em consideração seis categorias de indicadores para tal classificação. A soma das pontuações alcançadas em cada um deles determina o resultado relativo ao posicionamento do ranking. Uma das categorias é “Configuração e Infraestrutura”, que responde por 15% da nota e diz se o câmpus da instituição de ensino merece ser chamado de câmpus verde. Entram no cálculo informações como, por exemplo, a extensão de área coberta por floresta, por vegetação plantada e a área existente para absorção de água. Outra categoria é “Energia e mudança climática”, responsável por 21% da pontuação. São considerados o uso de energia renovável, uso de eletrodomésticos eficientes, construções ecológicas e outras medidas.

Com participação de 18% está também a categoria “Desperdício”, focada na necessidade de tratamento e reciclagem de resíduos. A existência de programas de conservação e reciclagem da água está na categoria “Água”, junto com outros indicadores, respondendo por 10% da nota. A questão do “Transporte” (18%) também ocupa preocupação essencial, pois está relacionada com a redução das emissões de carbono. Colaboram práticas como a existência de ônibus interno, incentivo ao uso de bicicletas, entre outros. Na categoria “Educação e Pesquisa” estão observações relativas ao número de cursos que abordam a sustentabilidade em seus currículos, o financiamento de pesquisas dedicadas à sustentabilidade, o número de produções acadêmicas sobre o tema, número de eventos, etc.

Na avaliação do reitor da UFLA, professor José Roberto Scolforo, a participação da Universidade no ranking e a manutenção de um bom desempenho fazem com que a instituição inspire outras universidades, assim como outras instituições e órgãos, a adotarem práticas sustentáveis. “Nossa preocupação em zelar pelo meio ambiente traz resultados importantes para a Universidade e seu entorno. Ao investirmos nessa questão, fazemos nossa parte quanto ao cuidado com o meio ambiente, promovemos uma economia de recursos públicos e mais: nosso Plano Ambiental se transforma em um legado cultural para a comunidade, pois auxilia na promoção da cultura do cuidado com o planeta. Temos contribuído não só para sensibilizar os milhares de jovens que se formam na UFLA, mas a sociedade em geral”, diz. Scolforo comenta, ainda, que, para 2019, a expectativa é trabalhar para que 30% da energia consumida seja proveniente de energia solar.

A experiência da UFLA com o Plano Ambiental e Estruturante foi apresentada este ano em evento internacional promovido pelo Green Metric. O  4º International Workshop on UI Green Metric foi realizado na Indonésia, em abril (leia a matéria sobre o evento).

Você também pode gostar