Estudante da UFLA vence concurso internacional sobre bem-estar animal

Publicado em 03/12/2015

A estudante Paula Carneiro Vasconcelos, do curso de graduação em Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras (UFLA), acaba de ser anunciada vencedora do concurso internacional organizado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, Paris/França), em conjunto com a Associação Internacional de Estudantes de Veterinária (IVSA). A estudante teve a orientação do professor Marcos Rodrigues de Mattos (DMV/UFLA) para o encaminhamento de um ensaio escrito, cinco fotos e dois vídeos sobre o tema: “Normas de bem-estar animal da OIE no meu País”.

O concurso teve como objetivo incentivar os futuros médicos-veterinários a ampliarem seus conhecimentos, descobrir o alcance e refletir sobre o nível de implantação das normas de bem-estar animal da OIE. O concurso recebeu inscrições de estudantes de diversos países.

Ao anunciar os dois estudantes vencedores, o presidente da IVSA, Anıl Türer, destacou o material enviado pela estudante da UFLA. Ele considerou que a estudante Paula Vasconcelos conseguiu descrever e ilustrar com confiança a situação do Brasil no que diz respeito ao bem-estar animal, incluindo vários aspectos da legislação que versa sobre a proteção dos animais.

Como prêmio, a estudante vai receber ajuda de custo para participar do Congresso Mundial de Bem-estar Animal da IVSA, em abril de 2016, em Utrecht  – Holanda (incluindo passagem, inscrição e hospedagem).

Para o professor, mais do que um concurso, a participação no OIE/IVSA Student Competition/2015 foi uma oportunidade de treinamento e representou o reconhecimento de que o trabalho levado a sério tem bons resultados. “Foram diversos desafios: a generalidade do tema, a exigência de todo material ser produzido por nós, a gravação de áudio em inglês, a organização e edição das imagens, enfim, vários afazeres que foram novidade para nós. Contamos com o apoio do DMV e do Centro de Educação a Distância (Cead) e, ao final, tivemos um material de altíssima qualidade para concorrer”.

A estudante Paula Vasconcelos está ainda mais confiante após a premiação. “Temos que acreditar sempre e fazer o nosso melhor. O Brasil tem muito potencial e a UFLA é uma instituição que incentiva a internacionalização, incluindo a oferta de cursos de Inglês e a interação entre estudantes de diferentes instituições, no Brasil e no exterior”, considera.

Internacionalização

Outro benefício da participação no concurso é que para realizar a inscrição foi necessária a filiação na IVSA. Apesar de ser um grande desafio, um grupo de estudantes do DMV/UFLA solicitou a filiação e a homologação está prevista para fevereiro de 2016, em encontro na Tailândia. Dessa forma, os estudantes da UFLA serão os primeiros filiados da America Latina, com o privilégio de participar da organização internacional que congrega estudantes do mundo inteiro, com apoio de organizações privadas e governamentais.

“O resultado final vai além da vitória no concurso, temos estudantes que são exemplos para os demais, que estão inseridos, já na graduação, em um contexto mundial e globalizado, e, acima de tudo, preparados para isso”, considerou o professor Marcos Mattos.

Conteúdo premiado

O ensaio que representou a UFLA no concurso teve como foco o comércio mundial de produtos de origem animal. A estudante traçou um breve histórico desde o final dos anos 90 e inicio de 2000, quando o Brasil se apresentou como um potencial fornecedor de produtos de origem animal. Já em 2004, o Brasil alcançou o status de maior exportador de carne do mundo e se mantém nesse patamar até hoje. Essa conquista ocorreu devido ao empenho do governo federal e de empresas privadas, que trabalharam arduamente tanto no controle e erradicação de doenças de nossos rebanhos, quanto na utilização de tecnologias de produção.

Nesse contexto, pode-se verificar que a adequação na produção e elaboração de produtos brasileiros conforme as regulamentações internacionais ainda é muito recente. Como principal conquista, o Brasil apresenta em sua própria Constituição a chamada Lei dos Crimes Ambientais, a qual transformou o ato de praticar abusos, maus-tratos, ferir ou mutilar animais de quaisquer espécies em crime. Além disso, a regulamentação técnica brasileira estabelece a obrigatoriedade de atenção ao bem-estar animal em todo o País. Nela são estipulados os requisitos mínimos para a proteção dos animais antes e durante o abate, a fim de se evitar dor e sofrimento, regulamentando também os métodos de insensibilização para abate humanitário de animais de açougue, e recomendações de boas práticas de bem-estar para os animais de produção e de interesse econômico.

“Com a grande extensão territorial do país, a abundância de recursos e a relevância do agronegócio brasileiro no contexto global, o Brasil se destaca pela sua capacidade em se tornar uma potência na produção, consumo e exportação de produtos que sigam os preceitos do bem-estar animal, permitindo também alcançarmos, em futuro muito próximo, o título de referência mundial na produção sustentável”, considerou a estudante.

Os vídeos enviados para o concurso foram elaborados pela estudante e pelo professor Marcos Mattos, com o apoio do Centro de Educação a Distância da UFLA (Cead).

Fonte: ASCOM/Ufla

Veja também