Domingo na Praça com Homenagem ao Maestro Írio Inácio de Jesus

13/04/2019

 

 

A Secretaria Municipal de Esporte, Lazer, Turismo e Cultura prestará homenagem ao coronel Írio, ilustre músico lavrense que estaria completando 88 anos. Neste domingo, dia 14, seu filho Edson Tigrinho fará uma apresentação na Praça Dr. Augusto Silva, a partir das 10h, com as músicas favoritas de seu pai.

Biografia

Conforme nos conta José Alves Andrade, Írio Ignácio de Jesus era filho de Floriano Inácio de Jesus e Flauzina Maria de Jesus. Nasceu em Lavras (MG), em 16 de abril de 1931 e estudou as quatro primeiras séries do primeiro grau na Escola Álvaro Botelho. As quatro últimas, bem como o segundo grau, nas Escolas da Polícia Militar de Minas Gerais. Direito, na Faculdade de Varginha.

Desde cedo, sua vocação foi a música. Ainda criança, iniciou-se na arte musical aprendendo a executar quase todos os instrumentos. Certa ocasião, quando ainda contava apenas sete anos de idade, exibia-se tocando bandolim em um bar na Praça das Mercês, acompanhado por seu pai, ao violão, quando um dos presentes – Sr. Juca Venerando – interrompeu os aplausos ao final de uma interpretação e desafiou Floriano: “Duvido que o menino tenha conhecimento de música”. Sob os olhares dos presentes que se mostravam extasiados com a música do menino-prodígio, Floriano disse: “Se o Sr. duvida, busque a partitura”. Poucos minutos mais tarde colocou a partitura da Valsa “Conde de Luxemburgo” em frente ao pequeno músico. E ele, olhando a surrada partitura, com seus dedos ágeis executou a valsa, indiferente ao duelo que ali se travara. Afinal, sob os aplausos da platéia, para surpresa de todos, Juca Venerando retirou do bolso uma nota de dez mil réis e com ela presenteou o pequeno músico, cuja estrela começava a brilhar.

Graças à sua musicalidade, ainda muito jovem, ingressou no Oitavo Batalhão de Polícia Militar de Minas Gerais, sendo promovido ao posto de sargento, um ano após. Nessa corporação fez seus estudos intermediários e em 1952 atingiu o oficialato. No posto de aspirante, foi servir no Batalhão de Guarda da Capital. Transferido para o 4º Batalhão, em Uberaba, prestou serviços como delegado em vários municípios da região.

Ao retornar a Lavras, formou um sexteto de cordas integrado pelos violinistas Paulo Alves, Martha Mazzochi, Giselda Hermeto, seu pai Floriano (cello), Inah Penido (piano). Diante do sucesso do grupo, resolveu criar a GRANDE ORQUESTRA E CORAL DE LAVRAS, integrada por elementos civis e músicos do 8º Batalhão e pelo ballet da extraordinária Inah Penido. Essa orquestra se apresentou nas cidades de Pouso Alegre, Barretos, Barbacena e outras. Fez várias apresentações na televisão mineira, representando nossa terra.

Tempos depois, criou ÍRIO-CORAL E ORQUESTRA, substituindo a anterior. Essa maravilhosa orquestra tem atuado em vários Estados, com o privilégio de, por três vezes, estar em Brasília, participando de festas promovidas pela Presidência da República e Congresso Nacional.

Ao concluir os cursos de aperfeiçoamento de oficiais na Polícia Militar, foi promovido aos postos de capitão e major, reformando-se como tenente-coronel. Formado em Direito, passou ao exercício da advocacia.

Írio, em sua trajetória, exerceu as seguintes funções: subcomandante e comandante interino do 8º BPM, delegado de polícia, diretor da construção do Colégio Tiradentes, diretor do núcleo de reformados, orientador do Mobral, presidente do Conselho Deliberativo da Associação Olímpica de Lavras.

Família – casou duas vezes. A primeira, com Dagmar Arcoverde Cavalcante com quem teve os filhos Edson, Emilson (falecido), Hebe e Wagner. A segunda, com Angelina Costa Silva com quem teve os filhos Andréa, Írio Jr. e Soraia. Alguns dos filhos herdaram seus dotes e talentos musicais.

Fonte: Andrade, J. A. (2000). “Gente da Terra, v. I”.

http://lavrassuahistoria.blogspot.com

Você também pode gostar