Número de casos de dengue recua em Lavras e atendimento volta a ser feito na URPA

Publicado em 01/06/2015

4 - Cópia

Com a chegada do frio e com o número de notificações de casos de dengue dando sinais de queda, a partir desta segunda-feira (01/06), os atendimentos para os pacientes com suspeita da doença voltam a ser realizados na Unidade Regional de Pronto Atendimento (URPA).

Desde o dia 7 de maio passado, os atendimentos estavam sendo realizados nas barracas do Exército, na Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo (SELT). As atividades realizadas no local terminaram na última sexta-feira (29/05). De acordo com balanço divulgado pela Secretaria de Saúde, a estrutura permitiu o atendimento para cerca de 5.000 pacientes, aliviou em 80% o movimento na URPA e em 30% na Santa Casa e Hospital Vaz Monteiro.

A estrutura montada funcionou com três tendas equipadas com toda a infraestrutura necessária para triagem, medicação e hidratação dos pacientes. A equipe de profissionais contou com dois médicos, quatro enfermeiros e cinco técnicos de enfermagem que atuam nas unidades de saúde do município, além de dez estagiários de enfermagem e técnicos de enfermagem da UNILAVRAS. Cinco atiradores do Tiro de Guerra deram apoio a todo o trabalho.

Reunião define implantação do Núcleo Epidemiológico na URPA

Enfermeiros que atuam na Vigilância Epidemiológica, URPA e na Santa Casa participarão de um treinamento para a implantação do Núcleo Epidemiológico na URPA que será realizado no dia 10 de junho, na Unidade de Pronto Atendimento de Varginha (UPA), onde já foi implantado o setor. A data da implantação da unidade em Lavras será definida após a capacitação.

O Núcleo Epidemiológico tem por finalidade centralizar e organizar os atendimentos de casos de doenças de notificação compulsória – dengue, coqueluche, meningite, leishmaniose, entre outras. O setor também atenderá casos de violência e de acidentes de trabalho.

 Vigilância em Saúde solicita novos equipamentos para ciclo de fumacê costal

A Vigilância em Saúde solicitou à Superintendência Regional de Saúde de Varginha quatro novas bombas para fumacê costal, com o objetivo de ampliar o serviço de combate ao mosquito da dengue. Com esta medida, o município contará com oito bombas para fumacê costal. O equipamento é utilizado para a aplicação do inseticida nos becos e ruas de bairros em que não é possível a entrada do caminhão. É utilizada em grandes espaços, como cemitérios e ferros-velhos. Neste caso, os agentes de endemias percorrem locais específicos com o equipamento nas costas.

Bairro Dona Wanda recebe mutirão de limpeza dos agentes de endemias

De acordo com o cronograma da Vigilância em Saúde, a partir desta 2ª feira (01/06) os agentes de endemias estarão no bairro Dona Wanda, para orientar os moradores sobre as medidas necessárias para combater a proliferação do mosquito transmissor da dengue. As ações vão até sexta-feira (05/06), dia em que é realizado o mutirão ampliado da semana: um grande bota-fora, com a limpeza do bairro por meio da capina, varrição, além da retirada de entulhos com o apoio de um caminhão. Na semana seguinte o mutirão será realizado no bairro Novo Horizonte. Depois desta data, que encerrará o cronograma de mutirões semanais, as ações acontecerão mensalmente.

Vigilância em Saúde firma parceria com a ACAMAR para a realização de mutirões mensais

A Vigilância em Saúde firmou uma parceria com a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis (ACAMAR) para trabalhar no recolhimento de materiais recicláveis durante os mutirões que serão realizados mensalmente, a partir de julho.

Serão implantados postos de coleta de lixo reciclável em cada bairro onde serão realizados os mutirões. O novo cronograma ainda está em fase de elaboração.

Número de casos

O número de notificações de dengue em Lavras já registra queda. A diminuição de atendimentos nos casos da doença já pode ser constatada nas unidades de Saúde do município e também no levantamento semanal registrado pela Vigilância Epidemiológica, setor da Secretaria Municipal de Saúde responsável pelo combate à dengue na cidade. Até o fechamento dos dados, realizado nesta segunda-feira (01/06), foram 5.813 casos notificados e 2.278 casos confirmados da doença.

O número acumulado de casos desde o início do ano ainda cresce, em razão da tabulação lenta registrada no Sistema de Informações de Agravos de Notificações (SINAN), que apresenta congestionamento, já que é utilizado ao mesmo tempo por municípios de todo o país. São casos que já aconteceram e cujos pacientes já se curaram da doença, já que o período médio de incubação da doença até sua completa recuperação dura de 7 a 10 dias.

Uma semana tem mais de 10 mil minutos. Que tal usar apenas 15 deles para combater a dengue dentro de casa?

Elimine todos os focos de água parada em sua residência: pratinhos de vasos de plantas; pneus e garrafas PET, entre outros. Mantenha sempre a lixeira tampada. Caso tenha, limpe a piscina uma vez por semana e trate a água com cloro. Verifique se a vedação da caixa d’ água está correta. Mantenha a tampa do vaso sanitário sempre fechada. Seque e guarde em local aberto todos os materiais em uso e que possam acumular água. O ovo do mosquito transmissor resiste por mais de um ano e, caso haja nova presença de água, o ciclo evolutivo é retomado.

­

Veja também