Cirurgia Animal: Tudo o que você precisa saber!

Publicado em 13/09/2021

 

 

As cirurgias são procedimentos importantes para o diagnóstico e/ou tratamento de diversas doenças na rotina do médico veterinário. O ato cirúrgico pode ser dividido em três períodos: pré-operatório ou pré-cirúrgico; transoperatório ou trans cirúrgico; e pós-operatório ou pós-cirúrgico. Dessa forma, é preciso ter em mente que cada um destes períodos é importante. E, o contrário do que muitos pensam, a cirurgia não envolve apenas a execução da técnica cirúrgica em si.

Hoje vamos explicar mais sobre o ato cirúrgico e os cuidados que os tutores devem ter com seus animais que passam por estes procedimentos. Vamos lá?

PERÍODO PRÉ-OPERATÓRIO OU PRÉ-CIRÚRGICO

Este é o intervalo de tempo entre a indicação da cirurgia e o momento da sua realização. Neste momento é importante estabilizar os pacientes em condições mais graves para reduzir os riscos anestésicos e cirúrgicos. Também é preciso realizar o tratamento de doenças concomitantes, além de solicitar os exames complementares adequados de acordo com a necessidade individual do paciente (hemograma, bioquímicos, urinálise, exames de imagem etc.).

Algumas atitudes também devem ser tomadas, como o jejum hídrico e alimentar para evitar principalmente uma pneumonia aspirativa. Outras ações, como executar uma tricotomia de tamanho adequado, posicionar o paciente, efetuar o protocolo anestésico e a antissepsia rigorosa do local da cirurgia, entre outros procedimentos fazem parte do pré-operatório.

PERÍODO TRANSOPERATÓRIO OU TRANS CIRÚRGICO

Este momento compreende a cirurgia propriamente dita. Assim, a duração e complexidade dependerão da técnica proposta, e imprevistos durante o procedimento, que podem surgir. A execução de toda cirurgia é baseada em três tempos fundamentais da técnica cirúrgica: diérese, hemostasia e síntese.

PERÍODO PÓS-OPERATÓRIO OU PÓS-CIRÚRGICO

Este período é o tempo compreendido entre o final da cirurgia e a recuperação clínica adequada do paciente. Em alguns casos ela termina com a retirada dos pontos. Contudo, em alguns pacientes pode ser necessário um acompanhamento prolongado. É fundamental que o tutor siga as recomendações realizadas pelo veterinário responsável, que poderão variar de acordo com o procedimento realizado. Elas envolvem  os cuidados com a ferida cirúrgica, a administração de medicamentos (antibiótico, anti-inflamatório, analgésicos, etc), repouso e restrição de espaço físico, o uso de colar elizabetano ou roupa cirúrgica, por exemplo.

Os procedimentos cirúrgicos geram, na maioria das vezes, preocupação e ansiedade ao tutor e paciente. A conversa clara e franca com o tutor, a respeito dos cuidados específicos, principalmente no pré e pós operatório, ajudam a manter uma relação mais colaborativa em busca do melhor para o paciente. Assim, o tutor poderá  esclarecer as dúvidas sobre o tratamento e a cirurgia.

No Complexo de Clínicas Veterinárias do Unilavras você colocará em prática tudo que aprendeu em sala de aula. Conheça o curso deMedicina Veterinária!

Veja também