Casos de desidratação pelo calor aumentam na Região; saiba como se proteger

Publicado em 16/11/2023

Com o aumento das temperaturas, a preocupação com o estresse térmico se intensifica, destacando a desidratação como um dos principais riscos à saúde. Em Varginha, a Secretaria de Saúde alerta para um alarmante aumento de 20% nos atendimentos por desidratação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) desde o início de novembro, conforme reportado pelo G1.

A desidratação, se não tratada adequadamente, pode representar sérios riscos à saúde, especialmente para grupos mais vulneráveis. O médico e secretário de Saúde, Adrian Nogueira, enfatiza a prevalência desse problema, principalmente entre crianças e idosos, durante as altas temperaturas desta época do ano.

Em caso de desidratação, o paciente deve procurar a UPA, onde o tratamento inclui internação e administração de soro intravenoso para repor os eletrólitos perdidos, destaca o secretário.

Diante do aumento significativo nos casos, é crucial que a comunidade esteja ciente dos perigos do calor e adote medidas preventivas para garantir a segurança de todos. A hidratação constante é fundamental, com destaque para a ingestão regular de água. O médico salienta que, além da água, outras opções como sucos e chás também contribuem para manter o corpo hidratado.

Para evitar a desidratação, é recomendado evitar a exposição prolongada ao sol, buscando sombras e reduzindo atividades ao ar livre nos horários de pico de calor. O uso de roupas leves e chapéus é aconselhado para proteção adicional, juntamente com a prática de exercícios físicos em horários mais amenos.

A alimentação adequada desempenha um papel crucial, com a preferência por refeições leves e ricas em água, como frutas e vegetais. Evitar alimentos pesados que possam aumentar o desconforto térmico é recomendado.

Manter ambientes internos frescos, seja através de ventiladores ou ar-condicionado, também é uma medida eficaz, mas é importante evitar o excesso para não prejudicar as vias respiratórias.

É essencial estar atento aos sintomas de desidratação, como a diminuição da produção de urina, boca seca e sintomas gastrointestinais. Ao menor sinal de preocupação, buscar ajuda médica imediatamente é a orientação do médico Adrian Nogueira.

Essas medidas visam garantir o bem-estar da população diante das adversidades climáticas, e a conscientização sobre os perigos do calor é crucial para prevenir problemas de saúde associados ao estresse térmico.

fonte: G1.

Veja também