Casos de dengue caem 96,51% em Lavras após parceria da Prefeitura com a sociedade

Publicado em 05/03/2016
Planejamento e ações de prevenção iniciadas em 2015 revertem quadro de epidemia herdado de 2014
Planejamento e ações de prevenção iniciadas em 2015 revertem quadro de epidemia herdado de 2014

Planejamento e ações de prevenção iniciadas em 2015 revertem quadro de epidemia herdado de 2014

A Prefeitura de Lavras anunciou uma redução de 96,51% nos casos confirmados de dengue na cidade, numa comparação entre fevereiro deste ano com fevereiro de 2015. A gigantesca redução é resultado do planejamento e ações de prevenção feitas pela Prefeitura, com a participação das comunidades.

“A epidemia vivida no início de 2015 foi reflexo da falta de planejamento de 2014. Quando assumimos a Prefeitura, tivemos de administrar uma situação de guerra. Hoje, depois que tivemos tempo para colocar o nosso trabalho de prevenção em campo, estamos colhendo esse resultado. Se no passado foram 459 casos, nestes dois últimos meses foram apenas dezesseis”, disse o prefeito, professor Silas Costa Pereira.

Neste ano, com responsabilidade do combate à doença da atual gestão, a situação está bem diferente. No mês passado os números de casos de dengue notificados tiveram uma queda de 73% em relação ao ano passado e o número de confirmações, queda de 80% se comparado ao mesmo período de 2015.

Em fevereiro a queda os números de casos da doença foi ainda maior. De acordo com o balanço da Vigilância em Saúde, Lavras, até o dia 02/03, notificou 95 casos de dengue no município e confirmou 16 casos.

No mesmo mês, no ano passado, a Vigilância em Saúde notificou 512 casos, ou seja, 417 a mais do que este ano e confirmou 459 casos, 443 a mais que em 2016. Desta forma, os números de casos de dengue notificados tiveram uma queda de 81,44% em relação ao ano passado e o número de confirmações, queda de 96,51% se comparado ao mesmo período de 2015.

Segundo o secretário de Saúde, José Mourão Lasmar, este é o resultado de um trabalho conjunto realizado pela Prefeitura, com o apoio da comunidade. “ É o trabalho de conscientização da população que proporcionou a queda dos registros de casos da doença. Quando o assunto “dengue” ainda não estava em pauta, nossa equipe já estava nas ruas da cidade com criatividade, ações efetivas e muita iniciativa. Lavras hoje é modelo de combate ao Aedes aegypti. Já fomos inclusive convidados para falarmos a respeito do nosso trabalho em Goiás, e outras regiões do país” – disse o secretário.

Silas Costa Pereira, prefeito de Lavras, destacou que apesar dos excelentes números deste ano, o combate à dengue não pode parar. “Fico muito feliz em poder dizer que o trabalho da nossa equipe de combate às endemias da Secretaria de Saúde conseguiu fazer com que nós tivéssemos essa redução significativa. Mas isto não nos satisfaz. Nós vamos lutar para que cheguemos à zero casos em Lavras. O trabalho continuará, sem tréguas”- disse o prefeito Silas.

Medidas de prevenção ao Aedes aegypti

Como parte das ações para combater possíveis focos do mosquito Aedes aegypti a Prefeitura, por meio da Vigilância em Saúde, realizou mutirões nos bairros Jardim Campestre I, II e III no último sábado (27/02). No total foi recolhido um caminhão de recipientes e cerca de 400 materiais que podem acumular água.

Os agentes de endemias percorreram os bairros e residências para retirar e fiscalizar a presença de recipientes que podem acumular água e orientar os moradores sobre as medidas necessárias para prevenir a dengue, zika vírus e febre chikungunya.

Os moradores também colaboraram com a ação. A Prefeitura realizou a troca de recipientes que podem acumular água por mudas frutíferas. As crianças que colaboraram ganharam pipoca e algodão-doce.

A Secretaria de Saúde também alugou caçambas da empresa Construtec, que serão instaladas nos bairros para a coleta de recipientes.

“As caçambas ficarão três dias em cada bairro. Neste período os moradores devem recolher e colocar no local os recipientes que podem se tornar focos do mosquito. Depois o caminhão passará recolhendo todo o material depositado”- explicou Hernani Martins da Costa, chefe do Departamento de Promoção e Situação da Saúde.

As caçambas foram instaladas e recolhidas cheias inicialmente nos bairros Campestre I, II e III. Nos próximos dias também serão instaladas caçambas na praça do bairro Judith Cândido, Caminho das Águas e entre o Caminho das Águas II e Vila Paraíso.

A  Secretaria de Saúde disponibilizou ainda um caminhão para recolher resíduos e recipientes que podem acumular água dos bairros da cidade. O veículo da empresa TS Comércio e Serviço LTDA foi alugado pela Prefeitura para implementar as ações de prevenção às doenças transmitidas pelo mosquito.

Os moradores colocaram para fora de casa os recipientes que podem se tornar focos do Aedes aegypti, para que o caminhão fizesse o recolhimento. O programa recolheu até hoje 15 caminhões durante 60 horas de trabalho.

O veículo percorreu a cidade até a última segunda-feira (29/02), totalizando 24 bairros: Esplanada, Aquenta Sol, Lavrinhas, Nossa Senhora de Lourdes e Vila Mariana Cohab, Cohab 2, São Francisco e Jardim Glória; Jardim Fabiana, Centro Norte e Centro Sul; Inácio Valentim, Nova Lavras, Pitangui, Vale do Sol, Jardim América e Vila Bandeirantes; Cruzeiro do Sul, Joaquim Sales e Belizandra; Água Limpa, Novo Água Limpa I e Novo Água Limpa II.

A Prefeitura lembra que o combate à dengue é feito por meio do controle da proliferação do mosquito, e para isso é preciso adotar algumas medidas: evitar água parada, verificar se a caixa d’água está bem fechada, manter a casa limpa, colocar telas nas janelas e sempre embalar o lixo. A dengue causa dores nos olhos e articulações, perda do paladar e apetite, manchas e erupções na pele, náuseas e vômitos, tonturas e cansaço.

Veja também