6ª Cia PM Ind MAT divulga o balanço do período da Piracema em Lavras

Publicado em 28/02/2015

Sem título

Encerra-se neste sábado, o período defeso da Piracema, o qual teve início no dia 1° de Novembro de 2014. O referido período foi o momento em que os peixes migraram à procura de locais com condições adequadas para desovar, ficando muito cansados, tornando-se presas fáceis.

Compromissada com essa realidade, a Sexta Companhia PM Independente de Meio Ambiente e Trânsito (6ª Cia PM Ind MAT), responsável pela fiscalização ambiental em Lavras e Região, intensificou os trabalhos de fiscalização da fauna ictiológica. Os esforços estiveram voltados para a prevenção, sendo fiscalizados vários pontos de comércio de pescados que transportam, criam, armazenam, comercializam e capturam produtos e subprodutos da pesca.

Para evitar que houvesse a pesca predatória, militares da 6ª Cia PM Ind MAT estiveram empenhados, diuturnamente, nos rios, lagos, lagoas e demais cursos d’água que abrangem sua extensão territorial. O período de estiagem influenciou diretamente na movimentação de cardumes, deixando os peixes mais expostos, o que necessitou de um esforço ainda maior para a sua proteção.

Durante o período da Piracema foi efetuada a prisão de 35 autores, recolhimento de 759 redes de pesca, mais de 3.500Kg de pescado apreendidos e, ainda foram lavrados 79 autos de infração, totalizando R$ 58.974,54 reais em multas.

A Polícia Militar adverte que mesmo com o término da Piracema ainda existem restrições que devem ser observadas, tais como: a pesca continua proibida nas lagoas marginais, a menos de 200 metros à montante e à jusante de cachoeiras e corredeiras, a menos de 500 metros de saídas de afluentes e desembocaduras dos rios e das lagoas, a menos de 1000 metros à montante e à jusante de barragens hidrelétricas e a menos de 1500 metros à montante e à jusante de mecanismos de transposição de peixes. No trecho compreendido entre a Usina do Funil e a Ponte Rodoferroviária do município de Ribeirão Vermelho continua proibida sob qualquer modalidade.

O pescador deverá observar a quantidade de peixes capturados e se o tamanho não é inferior ao permitido, bem como se os aparelhos e técnicas usados estão de acordo com a legislação. Pescadores amadores devem portar a carteira de pesca, atualizada, que é pessoal e intransferível.

Quem souber de um crime de pesca ilegal pode entrar em contato com a Polícia Militar de Meio Ambiente por intermédio do telefone (35) 3829-2100

Veja também