Lavras,
19/04/2014 19:23
1, outubro 2009 - 0:00:00

Tribuna de Lavras: 42 anos de luta!

01-10-2009 15:32:29

tribuna_120Em 1967, Lavras, a “Terra dos Ipês e das Escolas” passava por um momento muito difícil, desprovida de um órgão de imprensa profissional, pois que desde o fechamento de “A Gazeta” restavam apenas “O Tic-Tac dos Brotinhos” e outros jornais estudantis.

A “Tribuna de Lavras” foi fundada em 1º de outubro de 1967 por Luiz Gomide e Dante Silva, sendo que hoje seu diretor é José Eduardo Carvalho. Começou com a cansativa impressão tipográfica que foi até 1971. Até 1988 a linotopia que deu lugar ao sistema off-set.

O jornalista e escritor Pedro Coimbra presta o seguinte depoimento sobre Luiz Gomide: “Como todos nós tinha aspectos bons e ruins. Preocupava-se muito com o desenvolvimento de Lavras. Outro dia contei para o Zé Eduardo que o primeiro clichê da Tribuna fui eu que fiz em Belo Horizonte. O `Seu´Luiz me deu a foto e levei pra fazer no “Diário Católico”, que meu amigo Svend Kierulff estava recuperando. Um semana depois `Seu´ Luiz foi buscar no apartamento em que eu morava no Edifício Vila Rica. Ficou tão ruim que nem tive coragem de cobrar”.

Pedro Coimbra diz que Luiz Gomide defendia de forma feroz o que considerava terreno da “Tribuna de Lavras” e trombaram feio quando escrevia para o “XX de Julho” e depois no “Lavras”, órgão oficial do município de Lavras.

“Desta época peguei a mania de acordar cedinho no sábado e ler a “Tribuna de Lavras” de ponta a ponta, o que faço até hoje. Aí, o Hugo de Oliveira, um dia cravou na primeira página que eu era eminência parda da prefeita Jussara Menicucci”, diz Pedro Coimbra.

Mas, Pedro Coimbra afirma que mesmo assim a mais importante lição que “Seu” Luiz Gomide lhe deu foi quando editou o “Jornal da Cidade”, em off-set, impresso no “Estado de Minas”. Só circularam dois números e Luiz Gomide lhe disse que não bastava fazer o jornal, era preciso ter um esquema para publicidade, venda nas bancas e distribuição de assinatura.

Pedro Coimbra diz que um dia apresentou a “Tribuna de Lavras” para Maurício Azêdo, presidente da Associação Brasileira (ABI) que o  considerou em exemplo positivo de jornal do interior.

Hoje, Pedro Coimbra é um dos articulistas da “Tribuna de Lavras” e se orgulha, nas poucas vezes que visita as oficinas, de encontrar o Auréo Rufini Filho, Lazaro de Oliveira  (Lazinho) e Eugênio Pacelli de Oliveira, que lá trabalham desde a fundação do jornal.