Secretário de Planejamento afirma que o Estado não tem recursos para pagar o 13º dos servidores

29 de novembro de 2017

A expectativa com o recebimento do 13º faz com que muitos trabalhadores planejem usar o dinheiro extra para as compras de fim de ano, pagamento de dívidas e até de impostos como o IPTU e IPVA. Infelizmente, a situação dos servidores do estado que estão com os salário parcelados está complicada.

Em uma entrevista à Rádio Itatiaia nesta terça-feira (28) , o secretário Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, disse que o  governo de Minas ainda não possui dinheiro para pagar o 13º salário dos servidores públicos estaduais.

“Como sempre sendo bastante sincero, e toda ajuda, até a divina, é bem-vinda. O governador Fernando Pimentel determinou prioridade absoluta para esse pagamento em 2017, mas nós temos de admitir que não temos os recursos disponíveis para isso”, declarou.

Segundo o secretário, a folha líquida de pagamento do estado é de cerca de R$ 1,7 bilhão por mês, o que significa toda a arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) arrecadado em Minas. “E o que nós tínhamos de dívidas herdadas foram se acumulando, e mesmo reduzindo os gastos, tem um acúmulo.”

Magalhães ressaltou que o estado precisa do auxílio do Senado para conseguir os recursos. O secretário disse que o governador Fernando Pimentel se encontrará com o presidente Michel Temer e os presidentes do Senado, Eunício de Oliveira, e da Câmara, Rodrigo Maia, para que apoiem essa iniciativa.