São João del-Rei volta aos tempos dos vinis

26 de julho de 2017
Fotos: Van UFSJ

Um casarão em que funcionam estúdio musical, escritório de marketing e cafeteria, além de ter vista privilegiada para o Centro Histórico de São João del-Rei. O Bunker Analog e Jacarandá Café funcionam na Praça Severino de Resende no Largo Tamandaré e são administrados pelo casal Anderson Guerra e Michele Mota que vieram de  Belo Horizonte em maio de 2017.

Anderson Guerra, que é guitarrista, já acompanhou vários artistas. Há  cerca de 10 anos, resolveu focar na produção musical, trabalhando com mídias obsoletas como as fitas magnéticas e discos de vinil, produzindo exclusivamente nesse formato. O intuito do estúdio é produzir sem recursos digitais, como era antigamente, nas décadas de 40 a 70. Sendo assim, o Bunker Analog é o único estúdio do país que trabalha de modo totalmente analógico.

Anderson explica que optou por trabalhar exclusivamente com o analógico devido ao som: “Boa parte dos discos de que mais gosto foram gravados neste formato”. O modo de trabalho também foi um atrativo para o produtor, com fitas de rolo e discos. ” A única edição que tenho é a edição feita décadas atrás, cortando determinada parte da fita com gilete e colando lá na frente”; esclarece.

Foto: Van UFSJ

Quando questionado sobre os riscos desse tipo de empreendimento, principalmente em uma cidade pequena como São João del-Rei, Guerra explicou que tem um público muito específico e que o artista que quiser grava 100% em analógico no país recorrerá a ele ou gravará no exterior. “Chegamos a conclusão de que estarmos em BH ou aqui não faz diferença, até porque São João é muito perto da capital”; afirma.

O produtor diz que o fato de vir pra outra cidade é muito atrativo para quem quer gravar um disco, saindo da rotina. Conta ainda que o casarão foi o responsável pela decisão de deixarem BH, pois proporcionou uma  confluência de possibilidades: “A casa é grande e tá super conservada. A acústica das salas tem um som lindo e temos a possibilidade de trazer o pessoal pra cá, pois no andar de cima há 6 suítes”.

Um dos trabalhos feitos pelo estúdio foi com a banda Black Machine com a gravação do EP do conjunto. O guitarrista e produtor da banda Rafael Carneiro,  comenta sobre como gravar em analógico enriquece a experiência musical positivamente: “O analógico nos faz melhores músicos, na medida em que temos que estar sempre bem afiados para executar bem na hora de gravar.”
A visão do guitarrista sobre o mercado de LPs é otimista. Ele diz que o mercado de LPs no Brasil está em expansão: “As pessoas estão começando a entender que o vinil é uma mídia muito duradoura, e que o som também tem características peculiares, não encontradas no digital”. O guitarrista salienta que o mercado de LPs é vivo e movimentado atraindo público novo a cada dia: “Existe o público saudosista, que revive a mídia ouvindo discos antigos, existem colecionadores de todos os tipos, que comercializam raridades e se encontram nas várias feiras de vinil pelas cidades, e também o público mais jovem, que começa a ver o vinil como uma mídia mais especial” afirma.

A agência de marketing digital  é administrada por Michele Mota que possui mais de 10 anos de experiência na área. Ela trabalha com mídias sociais e design em geral: “Por conta do café, já tenho uma clientela fixa há algum tempo e sempre aparecem clientes novos. É um trabalho de continuidade.”

Sobre o Jacarandá café, os proprietários explicam que a idéia é de que o espaço funcione como um ambiente de coworking com internet liberada,  pra sentar com o notebook, estudar, ler um livro. Como um local de encontro também, ao  som de discos de vinil no fim de tarde. Há projetos de que, futuramente, o espaço vire uma pequena loja de discos de vinil. O Café funciona de segunda a sexta das 10:00h às 19:00h e aos sábados das 10:00h às 14:00h.

 

*Reportagem VAN: Pedro Jacobson, Yasmim Nascimento