Professor da UFLA esclarece as diferenças entre ovos caipiras e industriais

10/01/2018

 

Com o maior acesso da população à internet, diversos mitos circulam nas redes, e, muitas vezes, sem nenhum fundamento científico. Diante disso, o Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Zootecnia e a Diretoria de Comunicação (DCom), da Universidade Federal de Lavras (UFLA), têm realizado um trabalho em conjunto com o intuito de esclarecer diversas dúvidas e levar informação à comunidade com base em pesquisas realizadas na Universidade.

No vídeo abaixo, o professor Antônio Gilberto Bertechini (DZO) esclarece as características dos ovos produzidos em granjas comerciais e dos produzidos nas roças, denominados caipiras. Ele afirma que a composição de ambos os tipos é muito semelhante e que os dois são de alta qualidade nutricional.

A diferença, segundo Bertechini, está na maneira como as galinhas são mantidas durante o ciclo reprodutivo. As de granja são mantidas em gaiolas, e os ovos, ao serem botados, não têm contato com os excrementos. Já os ovos das galinhas caipiras possuem um contato maior com impurezas, devido à maneira como os animais formam seus ninhos.

Quanto à coloração da gema, fator muito comentado entre os adeptos dos ovos caipiras, Bertechini ressalta que a cor é característica da alimentação das aves e o alaranjado intenso se dá devido ao verde que as galinhas caipiras consomem, mas isso não significa que a alimentação das galinhas de granja também não seja de alto valor nutricional. “Colocamos alimentos naturais na ração das galinhas, como uma pimenta vermelha, por exemplo, que faz com que a gema fique bem vermelha. Não é a cor que diz sobre a qualidade do ovo. A cor é para os olhos das pessoas que consomem”, ressalta o professor.

Gilberto comenta que o preço dos ovos caipiras é mais alto por causa do custo de produção: “A galinha bota pouco e, para produzir uma dúzia de ovos industriais, se gasta cerca de 1,3 kg de ração, enquanto a galinha caipira necessita de 3 a 4 kg de ração para a mesma quantidade de ovos– e a alimentação representa 70% do custo”.

O professor conclui que a limpeza dos ovos caipiras deve ser feita com água morna. “Se lavar o ovo em temperatura baixa, a parte interna retrai e ‘chupa’ todos os microrganismos dos poros, que são cerca de 35 mil e ficam cheios de bactérias. Porém, ao ser frito ou cozido, todo risco de infecção é eliminado, até mesmo o da salmonela, que é considerada a vilã dos ovos.”

 

*Ascom UFLA

Você também pode gostar