Padrasto mata enteada de 3 anos espancada no Sul de Minas

15/06/2018
Cristopher confirmou as agressões, mas não disse mais nada aos policiais (foto: TV Poços/Divulgação)

Está preso à disposição da Justiça o homem que matou a enteada de apenas três anos com agressões em Poços de Caldas, no Sul de Minas. Segundo a Polícia Militar, Cristopher Antony Tavares Coelho, de 27 anos, espancou de forma brutal Ana Lívia Lopes da Silva, 3 anos, que ainda chegou a ser atendida no hospital, nesta quinta-feira, mas morreu na unidade de saúde em virtude de vários ferimentos, entre os quais traumatismo craniano encefálico.

PRF prende homem que transportava droga em ônibus de linha durante blitz no Sul de Minas

Ao receber a denúncia do crime, os policiais se deslocaram até o hospital e começaram a colher as versões de testemunhas para o crime. De uma tia de Ana Lívia, a polícia ouviu que a mãe de Cristopher foi chamada por sua nora quando a mãe da criança percebeu que a filha estava muito machucada. Como a mãe do autor do crime deu um grito ao presenciar a situação, a tia de Ana foi até a casa da criança e viu que ela realmente estava cheia de ferimentos e por isso a pegou o colo e levou até o Hospital Margarita Moralles.

A mãe de Cristopher confirmou a mesma versão para a polícia. Já mãe de Ana Lívia, Letícia Lopes Fonseca, de 18 anos, chegou à unidade de saúde logo depois da garota ter dado entrada e informou que Cristopher teria agredido a criança na quarta-feira porque ela fez xixi na roupa. No dia seguinte, novas agressões, mas ela não presenciou por estar dormindo no momento do espancamento.

Por volta das 8h30 de ontem, a mãe percebeu os hematomas, mas disse que pensou que a filha fosse melhorar, o que não aconteceu. Em seguida ela perdeu a consciência, mas essa situação permaneceu até cerca de 17h, quando a garota foi levada ao hospital.

Com todas as informações colhidas, os policiais prenderam em flagrante Cristopher, que confirmou as agressões e se manteve calado com relação aos motivos, e também prenderam Letícia, como coautora do crime por não ter tomado nenhuma atitude para salvar a filha.

A perícia da Polícia Civil esteve na casa da família e recomendou a apreensão de dois celulares, de Letícia e Christopher. No aparelho da mãe da garota, mensagens pedindo desculpas foram encontradas, que teriam sido enviadas pelo celular do autor. A morte da garota aconteceu na madrugada de hoje e também há suspeita de que ela possa ter sofrido abuso sexual, conforme relato do boletim de ocorrência com base em informações dos ferimentos colhidas no hospital. O sepultamento está marcado para às 17h.

Fonte: Guilherme Paranaiba/Portal Uai