Lavras no mapa das cidades mais inovadoras do país

21/05/2011

O destaque de Lavras reafirma o posicionamento da UFLA como centro gerador de conhecimento, tecnologias e mão de obra qualificada
Em levantamento realizado em parceria entre o Instituto Inovação, Sebrae, IBGE e Pequenas Empresas & Grandes Negócios, foi traçado um mapa da inovação no Brasil, e Lavras está entre as quatro cidades mais inovadoras de Minas Gerais, além de Belo Horizonte, Viçosa e Santa Rita do Sapucaí. Segundo o levantamento, Lavras figura entre 45 bolsões brasileiros de inovação identificados em todo o Brasil. É apontada como uma das cidades em que os empresários têm melhores condições para criar e atrair recursos, sejam públicos ou privados, destinados à inovação.

O destaque das cidades mineiras foi ressaltado em evento realizado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, na segunda-feira (16), em comemoração aos 25 anos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), que teve a presença do reitor da UFLA, professor Antônio Nazareno Guimarães Mendes e do vice-reitor e presidente da comissão de implantação do Parque Tecnológico de Lavras, professor José Roberto Soares Scolforo.

A presença de Lavras no mapa da inovação é justificada pelas conquistas da UFLA como centro gerador de conhecimento e de mão de obra qualificada. Na próxima semana, a Universidade celebra o início das atividades da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Inbatec), que contará com a presença do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), deputado federal Narcio Rodrigues, que nessa semana assinou a liberação de recursos no valor de um milhão de reais para o início da construção do Parque Tecnológico de Lavras.

Na avaliação do reitor da UFLA, professor Nazareno, o conhecimento gerado na Universidade deve ser direcionado também para a busca de soluções demandadas pela sociedade, contribuindo para o desenvolvimento do seu entorno. “O compartilhamento dos resultados de pesquisas que ampliam as fronteiras do conhecimento deve ser incentivado para a criação de um ambiente de inovação no entorno da Universidade, ampliando as oportunidades de geração de negócios de alto valor agregado”, ressalta o reitor.

A relação entre inovação e geração de conhecimento é um dos temas em debate na II Conferência Internacional das Cidades Inovadoras (CICI 2011), que está sendo realizada nesta semana, em Curitiba (PR), de 17 a 20 de maio, com foco na conectividade e na inovação voltadas para o desenvolvimento urbano. Durante o evento, uma das conclusões do painel “A Reinvenção do Governo a partir das Cidades” foi que a educação pode ser a ferramenta para o fortalecimento das cidades.
 
Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios