Autoridades e Pesquisadores da República Democrática do Congo participam de evento na UFLA

19/02/2018
Ascom UFLA

 

Teve início nesta segunda-feira (19/2), na Universidade Federal de Lavras (UFLA), o “Seminário para Avaliações de Resultados e Programação de Novas Etapas” do projeto de extensão universitária “Vozes da África”. O evento é organizado pelo coordenador do projeto, professor Gilmar Tavares, em parceria com a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (ABC/MRE) e República Democrática do Congo.

Estão presentes na UFLA: o reitor da Universidade Livre dos Países dos Grandes Lagos (ULPGL), reverendo Kakule Molo; o Engenheiro do Ministério da Agricultura da República Democrática do Congo Omar Babene; o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Agronômicas (INERA) Thomás Mondjalis Poto,  a presidente/fundadora da ONG- Solidariedade Feminina, Nathalie Kapunga e ainda o representante da ABC Nelci Peres Caixeta.

Durante a recepção, realizada na manhã desta segunda-feira (19), a presidente/fundadora da ONG- Solidariedade Feminina, Nathalie Kapunga, destacou a importância dos conhecimentos adquiridos por meio da parceria com a UFLA. “Aplicamos essas tecnologias e tivemos resultados fantásticos. E como diz aquele velho ditado: se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida. E a UFLA nos ensinou a pescar, com um custo mínimo. E nós continuaremos sempre a aplicar esse aprendizado”.

O pesquisador do INERA Thomás Mondjalis Poto também agradeceu a transferência de conhecimento e tecnologia, que possibilitou o desenvolvimento da agricultura familiar e da agroecologia em seu país. O mesmo sentimento foi compartilhado pelo representante da ABC Nelci Peres, que ressaltou a parceria de sucesso.

O reitor da Universidade Livre dos Países dos Grandes Lagos (ULPGL), reverendo Kakule Molo, também demonstrou sua satisfação com o projeto: “quando fiquei sabendo da parceria eu logo disse que seria a solução do problema da educação no meu país. Muito obrigado por compartilhar conosco seus conhecimentos”, disse.

O reitor da UFLA, professor José Roberto Soares Scolforo, salientou a positiva e construtiva troca de experiências obtida por meio dessa parceria. “Apoiamos a agricultura de subsistência, familiar e dos grandes empreendedores, pois é tudo isso que permite o desenvolvimento de um país. Essa Universidade está pronta para intensificar esses projetos, contemplar novos temas e gerar uma melhor qualidade de vida”.

Na recepção, o prof Gilmar apresentou uma fotografia, símbolo do sucesso do projeto. Um garoto que sobreviveu graças ao conhecimento compartilhado com a população daquele local. Até sexta-feira (23/2) serão apresentados os relatórios sobre as atividades construídas na área de Segurança Alimentar, com base na Agroecologia, na Agricultura Familiar e na Extensão Universitária Inovadora, além de serem realizadas capacitações. De acordo com professor Gilmar, o objetivo do evento é “demonstrar para a comunidade internacional que, o caminho para a paz justa e duradoura, passa obrigatoriamente pela produção sustentável e suficiente de alimentos básicos e fundamentais, com geração de emprego e renda dignos. O Congo é um país muito pobre, com intermináveis conflitos armados, os quais mantém a população em uma dramática crise de segurança alimentar”.

Vozes da África

O projeto Vozes da África teve início em 2007, em parceria com a Universidade Livre dos Países dos Grandes Lagos e em 2011, agregou parceria com a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores do Brasil (ABC/MRE)com ações na República Democrática do Congo, com o objetivo de propor soluções socioambientais de Agroecologia, Agricultura Familiar e Extensão Universitária Inovadora, buscando auxiliar a produção de alimentos básicos e fundamentais, com adequação cultural.

Em 2016, o projeto foi expandido para Moçambique, em parceria com a ONG Fraternidade Sem Fronteiras.

*Ascom UFLA

Você também pode gostar