12 de fevereiro de 2011

A diferença entre informação e comunicação, pelo Diácono Francisco de Assis Gonçalves

O que diferencia a informação da comunicação?

Atualmente, fala-se muito da importância da comunicação e informação, e essas palavras vêm tantas vezes associadas que gera em muitas pessoas a dúvida se elas têm o mesmo significado.

Na verdade, a palavra comunicação tem em sua origem latina a significação de comunhão, de partilhar algo, mas ela também identifica o ato de fornecer o conhecimento de alguma coisa para alguém, ou seja, informar. Assim, a informação é o objeto a ser transmitido, enquanto comunicação significa relação. Desse modo, não basta transmitir os dados, pois as pessoas, ao receberem uma mensagem, pensam e a decodificam.

Por outro lado, a informação trabalha com o novo, a notícia, a novidade. Caso numa homilia do domingo de Páscoa o pregador diga: “Meus queridos irmãos, queridas irmãs, hoje estamos celebrando a Páscoa, Jesus ressuscitou”.  Essa sentença não contém nenhuma informação, pois todos já sabem disso. Só é informação quando traz um elemento novo de forma nova, pois informação é algo novo que vai ser adicionado ao nosso conhecimento, ajudando a lidarmos e a domarmos o mundo em que vivemos.

A informação é veiculada pelo processo da comunicação, mas nem tudo que é comunicado é necessariamente informação. Por isso, nossas homilias têm que ter informação, uma explicação exegética de alguma coisa. Por exemplo, ao abordarmos o evangelho do encontro de Jesus com a samaritana, temos que dar a explicação sobre os samaritanos, um povo judeu. Além disso, a comunicação e a informação só têm sentido para o receptor da mensagem se estiverem relacionadas com a vida prática e com o dia-a-dia das pessoas.

A maior informação acontece quando as pessoas que se comunicam têm conhecimentos totalmente diferentes. Quanto menos eu sei do outro, mais informações eu vou receber dele, quanto menor é o conhecimento maior é a comunicação.

Interessante notar que todo dia somos bombardeados por quilos e quilos de informações e que pouco extraímos delas para a nossa vida. Richard S. Wurman ponderou que uma edição do jornal The New York Times possui mais informações do que uma pessoa que viveu na Inglaterra no século 17 poderia receber durante toda sua vida, e que nestes últimos 30 anos gerou-se um volume maior de informações novas do que nos cinco mil anos que nos precederam.

Quem entra no mundo da Internet pode verificar a enorme quantidade de informação existente em seu conteúdo, e a comunicação é cada vez maior entre seus sempre crescentes usuários. As pessoas estão ávidas em se comunicarem, basta assinalar que a empresa Technorati, informa que em pesquisa realizada em abril de 2007 havia mais de 70 milhões de blogs (espécie de diário eletrônico interativo) e, diariamente, são criados 120 mil novos blogs.

Será que neste universo de tantas noticias, não seria o caso do Povo de Deus se dedicar mais a difundir a Boa Notícia nesse novo areópago?

* Diácono Francisco de Assis Gonçalves

Coordenador da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de São Paulo      

Fonte: Site Paróquia Sant´Ana